sábado, 4 de Julho de 2009

FÉRIAS e REFLEXÃO

....Dentro de dias parto para férias que, em princípio, deverão prolongar-se até 16 de Agosto.
Estas férias serão também, de algum modo, o fim do Outras Comidas como o conhecem.
3
Quem se habituou a encontrar aqui, com alguma regularidade, as comidas que vou fazendo, talvez tenha notado que há já um tempo que por este blog não se cozinha.
As velocidades de cruzeiro são perigosas, as rotinas e automatismos anestesiantes impõem, se queremos ser consequentes e coerentes, pausas para reflexão e análise, desapaixonadas e críticas, auto-críticas neste caso.
8
Toda a actividade de interacção, mesmo esta aparentemente tão inócua de escrever simpáticos e inofensivos blogs de comidas, gera responsabilidades bem mais profundas que estas alegres patetices com que vou fingindo ser parte de uma vasta comunidade, afinal composta quase toda de envergonhados pseudónimos. Em dois anos de actividade regular, sobram-me dedos só das mãos se quiser ordenar as pessoas que efectivamente se tornaram, saindo da virtualidade anónima, qualquer coisa aparentada com uma amizade, mesmo asséptica…
16
Não sei ainda o que irá ser o Outras Comidas a partir de 16 de Agosto, mas terá forçosamente por passar por algo bem diferente deste conjunto amorfo de episódios mais ou menos calóricos que a ninguém aproveitam verdadeiramente, excepto, é claro, ao inchado ego do autor/cozinheiro/voyeur que assim se exibe/espreita, contente, perante uma plateia, quem sabe imaginária…
21
Aquilo em que o Outras Comidas se tornará, terá de ser algo que o torne mais que um pequeno palco desta grande feira de vaidades culinárias inconsequentes. E há muito por fazer e por dizer, mesmo através de comidas, neste mundo tão precisado de intervenção.
É o que vou descobrir nestas férias!

Boas Férias!
24
Nota:
A quem chegou a este final do post e se interrogou o que seriam estes estranhos números coloridos que hoje aqui foram aparecendo ao longo deste texto , saiba que representam, aproximadamente, o número de crianças iguais aos seus filhos que morreram de fome no mundo enquanto o leu. Dá que pensar, não é?
27

sexta-feira, 3 de Julho de 2009

"Dentro" dos Pastéis de Feijão

.....Já lá vai mais de um ano desde que aqui vos deixei a receita e, principalmente, o modo de fazer essa maravilha da doçaria do Oeste que são os Pastéis de Feijão da Fábrica Corôa, em Torres Vedras.


Quando na semana passada andei pela zona, claro que não podia deixar de visitar esta "capelinha" obrigatória e, porque estava presente a dona da fábrica, com o cartão de visita que é este blog, fui autorizado a visitar o coração da fábrica, normalmente interdito ao público.


Pena que já era fim da tarde e a fabricação propriamente dita já terminara, estando já só a fazer-se a embalagem dos últimos pastéis do dia.



Prometida ficou uma reportagem completa do processo numa próxima visita menos atrasada. Ali, como vos disse quando publiquei a receita no Comidas Caseiras, não há segredo, só minúcias, pequenas mas essenciais à obtenção desta maravilha gastronómica que continuam a ser, desde 1940, os Pastéis de Feijão da Fábrica Corôa.

quarta-feira, 1 de Julho de 2009

VERGONHA!

Faz parte da "linha editorial" deste blog, como é dito aqui ao lado no cabeçalho, que não serão feitas transcrições de outros blogs.

Hoje é a excepção!

O texto que a seguir transcrevo é demasiado importante para ser calado ou ignorado. Chama-se "Vergonha", foi hoje publicado no Correio-Mor, um blog ligado aos Correios, por Raul Moreira. Fala de uma ignomínia abjecta que nos diz respeito, a todos e, por maioria de razão, a nós que falamos alegremente de comida:

"Uma reportagem de Lisa Schlein (Voice of America) fazia-se eco deste facto incrível anunciado pela FAO-ONU : atingimos , em Junho de 2009, mais de mil milhões de pessoas com fome neste mundo !
Um sexto dos habitantes mundiais - sobretudo em África e na Ásia - passa fome regularmente.

"A new report found more than one billion people around the world are going hungry. The report by the UN's Food and Agriculture Organization or FAO blamed the global economic crisis and high food prices for pushing a record number of people into hunger. According to the FAO report, one-sixth of all people on earth are going hungry. It said almost all of the billion people who are not getting enough to eat live in developing countries. The Director of FAO's Agricultural Development Economics Division, Kostas Stamoulis, said it is the first time in human history that there are so many hungry people in the world. He said this should not be happening because a lot of the world is very rich despite the economic crisis. So what is happening, he said, contradicts what historically has happened."

"Eu não tenho capacidade para medir a fome de mil milhões de pessoas..." Como muito bem refere hoje no "Público" José Victor Malheiros na sua coluna habitual, ao escrever sobre este facto vergonhoso.
Mas basta pensar apenas numa criança ou num velho, mais perto de nós do que poderíamos imaginar, que vasculhe numa lixeira os restos de alguma lata de comida para nela enfiar os lábios gretados e a língua seca, para nos deixar na mente uma pálida ideia do que aquele número obsceno pode significar no dia-a-dia...
Numa altura em que existe riqueza desmesurada que vive ombro a ombro com a mais esquálida miséria, não sirva a "Crise" de desculpa para os ricos fecharem ainda mais os olhos e distrairem-se com ocupações de classe alta em "resorts" construídos ao lado das favelas..."

in Correio Mor - 1 de Julho de 2009