quinta-feira, 22 de Março de 2012

Bolo de Arroz (receita tradicional)

                       Quando há tempos vos falei da receita perdida dos queques de outrora, prometi-vos também que em breve ressuscitaria essa outra de um bolo emblemático da nossa memória colectiva, o bolo de arroz, entretanto perdido para o facilitismo químico que assolou e tomou conta da indústria da pastelaria e panificação, hoje totalmente entregue aos multinacionais cuidados dos melhorantes, conservantes, humectantes, correctores de acidez que fazem da receita de um simples bolo de arroz um compêndio de química.
Desse livro de 1933, tão actual e tão injustamente esquecido, “A Cozinha Ideal “*, de mestre Manuel Ferreira, saiu esta receita que aqui vos deixo, do tempo em que um bolo de arroz não era essa massa fofa e gordurosa, igual às outras todas e que faz com que hoje, um bolo de arroz se diferencie de um queque, principalmente, por não ter bicos e ser enrolado numa tira de papel vegetal.

Ingredientes (para 12 bolos):

300g de açúcar
300g de farinha de trigo
150g de farinha de arroz
150g de manteiga
25g de fermento químico
6 ovos + leite (tudo 500ml)
Raspa de um limão

Preparação:

Bata o açúcar com a manteiga amolecida, o fermento e a raspa de limão.
Junte então os ovos e o leite, que em conjunto devem perfazer 500ml e bata muito bem até obter uma massa  cremosa.
Adicione por último as farinhas e misture bem, de modo a que a massa fique homogénea e fofa.
Forre aros com 6cm de diâmetro e 5cm de altura com uma tira de papel vegetal com 6cm de largura,
encha até dois terços da altura, assente em papel vegetal
e leve a forno aquecido a 200ºC por cerca de cinco minutos, passando depois para os 170º-180ºC até estarem cozidos. 
Quando o bolo está já crescido e quase cozido mas ainda sem cor, pode polvilhar com um pouco de açúcar por cima para fazer aquela crosta característica e tão saborosa.
Nota:
* Ferreira, Manuel - A Cozinha Ideal – Tratado Completo de Cozinha, Pastelaria e Bar”, 8ª edição, Editorial Domingos Barreira, Porto, 1959.

11 comentários:

Paula disse...

Que alegria me deu agora com esta receita, Luís! Muito, muito obrigado por publicar!

S** disse...

Fiquei com água na boca e com vontade de ir já fazer uma bela fornada de bolinhos de arroz, destes verdadeiros :) O problema será arranjar os aros ou para os levar ao forno...

Até agora, só numa pastelaria encontrei bolos de arroz que me agradam... já nem me atrevo a pedir noutros locais onde tantas vezes me apresentam uns "bolos" que parece terem sido embebidos em água choca depois de sairem do forno.

Que belíssima ideia :D

Saltapocinhas disse...

há muito tempo que desisti dos bolos "de arroz" das pastelarias.
aqui há tempos fiz uns mas também não ficaram nada de extraordinário...
Vou ver se arranjo os aros para fazer estes.
depois conto como ficaram!

(será que uma palavra não bastava para provar que não sou um robot? Apre!)

Pi : ) disse...

Que saudades de um verdadeiro bolo de arroz!

Já tentei encontrar a farinha de arroz, porém, até ao momento sem sucesso, será que me pode ajudar?

Muitos parabéns pelo seu blog, do qual sou uma leitora assídua já lá vão uns anitos!!!!

MJ disse...

ahhh como eu gosto de um bolo de arroz tradicional, e é pena terem sido substituidos pelos industriais!
aobrigada pel areceita

IN disse...

Em resposta a Pi : farinha de arroz encontra-se facilmente na área viva do continente, ou em lojas dietéticas tipo Celeiro.

Obrigada pela receita, estava mesmo à procura da receita tradicional!!

Fernando Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Artes Simples disse...

Há mais de 20 anos que não consigo comer um bolo de arroz, que adorava. Hoje no Continente vi à venda a farinha de arroz que até agora nunca encontrara e trouxe logo na esperança de encontrar uma receita como esta. Obrigada!

Katy disse...

Adorei a receita e vou experimetar, tenho farinha de arroz!

Obrigado pela partilha!

Beijinhos

Mark of the Vineyard disse...

Talvez foi da maneira que eu fiz, mas ficou um pouco sêco. Aconteceu a mais alguém? Verdade seja dita, os bolos de arrôz que tenho comido nas pastelarias são demasiado gordorosos, portanto até gostei de como saiu :-)

Paulo Neves disse...

Mark, essa é mesmo a característica do verdadeiro bolo de arroz... são sequinhos e muito gostosos... nada têm a ver com os gordurosos "crediqueque" que se vendem nas confeitarias a metro de hoje em dia. Se lhe saíram sequinhos então acertou na receita à primeira. Se soubesse as saudades que tenho desses bolinhos... Comprei hoje a farinha e este próximo fim de semana ninguém me tira da cozinha! ;)