quarta-feira, 28 de março de 2012

Queijadas de Requeijão


                         Face ao requeijão, é costume hesitar-se quanto ao grupo de lacticínios em que se enquadra: queijo, iogurtes, cremes frescos?
Na verdade é uma variedade de queijo, feito a partir da coagulação, a quente, de proteínas que ficam no soro que escorre do processo de queijaria, a que hoje se adiciona mais algum leite, para aumentar a produção do requeijão.
Faz-se por isso requeijão em qualquer sítio onde também se fabrique queijo e os resultados variam muito conforme o processo e o leite utilizados, atingindo o máximo de qualidade, para mim, no requeijão feito na Serra da Estrela, subproduto do queijo da Serra, sendo o de S. Romão algo de único, talvez por força de recordações antigas e boas, a pensão da D. Palmira, os pequenos-almoços à conta do bom pão da serra, de requeijão fresquíssimo e doce de abóbora…
No Alentejo, o requeijão chama-se almece, ou atabefe e é muito diferente do requeijão que todos conhecemos, vende-se à concha, nos mercados, ainda cheio de soro e de encanto. É com este almece que se fazem as queijadas de requeijão que se comem um pouco por todo o Baixo Alentejo, em particular na região de Alcácer do Sal, Torrão e Alcáçovas e que eu tentei recriar, embora sem o almece, para esta 73ª Trilogia com a Ana e o Cupido, com o tema “requeijão”.

Ingredientes:

Massa –
150g de farinha
1 clara de ovo
30g de manteiga
2 c. sopa de água

Queijada –
1 requeijão de ovelha (cerca de 300g)
150g de açúcar
3 ovos + 1 gema
50g de manteiga
1 colher de sopa de farinha
Raspa de um limão
Pitada de canela

Preparação:

Misture os ingredientes para a massa, amasse até ter uma textura homogénea e deixe-a descansar por meia hora.
Estique pequenas bolas desta massa sobre a pedra enfarinhada até obter uma folha bem fina, que deixe perceber letras à transparência.
Forre formas de queque redondas com esta massa e corte o excesso.
Desfaça o requeijão com o açúcar e bata até obter um creme. 
Adicione então, um a um, os ovos e a gema, 
bata bem antes de juntar a farinha e por fim a raspa de limão e a pitada de canela que deve ser mesmo uma pitada muito pequena, uma ponta de faca e mais nada.
Encha as formas até três quartos da altura 
e leve a forno médio/baixo (150º -160ºC) durante cerca de 30 minutos ou até estarem cozidas. Finaliza com cinco minutos a 190ºC numa posição superior apenas para dar cor por cima.
  

5 comentários:

Paula disse...

Nem tudo podem ser desvantagens quando se vive na encosta da Serra da Estrela... O Luís tem os lingueirões, eu tenho o requeijão de ovelha e o doce de abóbora! E chanfana, e borrego para a Páscoa...

Lindas queijadas!
Abraço.

Nay disse...

As receitas simples são sem duvida as mais saborosas.
Já esperimentei os seus queques e espero que não se importe que eu os partilhe no meu blog.
Estas queijadas parecem realmante deliciosas :)

anna disse...

Quem diria que éramos 3 gulosos esmerados?
Aposto que comeste quase todas... nem uma para mim!! sniff!!!!
Beijinhos.

Amândio Cupido disse...

Esta semana deu de tudo :)

tarte sem massa [envolvente], queijada com massa [envolvente], tudo num registo muito da gula...

Diogo Marques disse...

Adoro requeijão e estas pequenas tartes :) Assim com tudo feito "à mão" ainda melhor :)