quarta-feira, 11 de julho de 2012

Tortilha Rápida de Batata



                           Quando o tempo aquece e passa a haver esse não-sei-quê de cheiro a férias e ar livre, o meu proverbial gosto por preparações lentas e pratos que não se fazem em meia hora, dá lugar a uma preguiça culinária sem igual.
O Verão, tema desta 88ª Trilogia com a Ana e o Amândio, é a altura em que torno a minha cozinha minimal, procuro a simplicidade e a leveza e chego mesmo a utilizar uns truques “inconfessáveis” para despachar o petisco. Digo petisco porque se tornam para mim especialmente apetecíveis esses maravilhosos cozinhados que são feitos para acompanhar uma conversa, um copo ou, simplesmente, deixar ainda um "ratito" saudável para uma boa noite de sono, que no Verão, às vezes, também se dorme.
Além de ser um "quanto-baste" aconselhável em termos de alimentação no tempo quente, o petisco cumpre ainda essa função primordial de acompanhar os refrigérios com que repomos esforçadamente os líquidos que perdemos a todo o instante nesta estação.
Se, por cá, onde até os singelos tremoços já vão rareando e quando aparece algum “aperitivo” é, as mais das vezes uma mistura salgada de grãos e sementes, duros, ou umas desenxabidas pipocas salgadas, já na nossa vizinha Espanha existe o salutar hábito de se fazer acompanhar as cañas com algum pincho de uma enorme variedade de coisas boas, que nuestros hermanos são, indiscutivelmente, os reis dos petiscos.
Quando toca a acompanhar uma cerveja bem gelada, nada me sabe melhor que uma tortilha de batata, ainda fervente a queimar a boca, fogo a pedir um gole fresco sem demora, depois mais um pedaço de tortilha e por aí adiante ao ritmo da conversa estival.
Mas acontece que fazer uma tortilha a preceito é coisa demorada e, quando nos apetece ter ali uma, é para agora, não para daqui a uma hora, e por isso, há que inventar e experimentar, deitar mão dos truques, mesmo que algo sabujos, mas conseguir ter a tortilha ali na mesa em menos de 10 minutos, vale bem um ou outro pontapé nas boas práticas de preparação de uma tortilha, que reservamos para as outras que, com o tempo por nossa conta, iremos fazer pelo Inverno fora.

Ingredientes:

Cebolas
Alhos
Batatas fritas em palitos
Azeite
Ovos
Sal e pimenta
Salsa

Preparação:

Parta duas ou três cebolas grandes em meias rodelas, pique alhos a gosto e estale tudo em azeite e lume forte até a cebola amolecer.
Junte então batatas fritas de pacote, sensivelmente o mesmo volume que faz a cebola,  
envolva, deixe fritar o conjunto por uns segundos 
e vaze-o para uma tigela onde bateu meia dúzia de ovos com sal, pimenta e salsa picada.
Vaze tudo para uma frigideira oleada e frite em lume médio/baixo, 
dos dois lados, até estar cozida e adquirir uma bela cor dourada, mais ou menos conforme o gosto.
Parta em pedaços grandes 
e estes, por sua vez, em cubinhos de tamanho ideal para espetar com um palito e ir comendo sem necessitar ir ao prato.
Se quiser, tenha disponível uma taça com aioli para ir molhando os pedaços de tortilha antes de viajarem até à boca e não esqueça a sua cerveja preferida ou até um verde bem fresquinho, que comer tortilha a seco, embaça! 

4 comentários:

Paula disse...

Fantástica! Adorei, adorei!... Eu cá adoro conhecer os estes truques menos ortodoxos, para quando fazem jeito...

tila disse...

Aprovadissima essa tortilha. Bem ao meu gosto, deliciosa e despachada.
Bjkas

anna disse...

A tua ficou muito mais bonita que as minhas... sniff!
Batatas de pacote!!!! Quem diria...Ficou com um aspeto divinal e tentador.
Beijinhos.

Lenita disse...

Olá Luis,
gosto imenso de tortilha, nunca tinha pensado fazer assim! Boa sugestão.