segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Chateia-me, pá!



               Após uma existência longa e trabalhosa, já com a vida suportada por diversas engenhocas de minha modesta autoria que lhe davam um aspecto assaz curioso, finou-se por fim a minha máquina de café.
Não posso dizer que tenha chorado o óbito mecânico da velha maquineta e tratei de fazer o que se faz nestas alturas: comprar outra!

Foi então que percebi, durante as normais visitas às capelinhas do costume nestas coisas, as wortens, medias markets, etc., que, na prática, já não há máquinas de café das tradicionais, com o manípulo onde se punha o café que queríamos, acabado de moer ou comprado moído, enfim, ao nosso gosto!
Hoje, com umas excepções envergonhadas e de baixa qualidade, as rainhas dos “lineares” já são todas movidas à força da novel cápsula, uns pacotinhos metálicos que até Deus e Clooney disputam na televisão e que, presumivelmente, contêm os pós correspondentes a cada um dos sugestivos nomes da longa lista
 que promete  exóticos, esotéricos e sedutores sabores e potências diversas a um preço módico que é, para as versões mais baratas, cerca de cinco vezes mais caro que o café que um café gasta.

Chateia-me, pá!

Não se pense, no entanto, que me move qualquer animosidade contra essas maravilhas que até Deus bebe 
para animar os seus presumíveis bate-papos de anjo, lá no Céu, pelo contrário: o que me chateia é sentir que estou a ser manipulado, dirigido por uma malta que me quer impingir à força uma nespresso*, ou uma lavazza ou uma deltaQ… e os respectivos consumíveis, um pouco como essas impressoras que custam 39€ e fazem tudo, até fax têm, e depois cada tinteiro custa 60€!!!

Chateia-me é ser aldrabado, pá…

* Todas as fotos deste post pertencem à publicidade Nespresso.

10 comentários:

Luis N. Filipe disse...

Há muito tempo que sigo o seu blog, de que gosto muito, e devo dizer que nunca tinha visto uma opinião tão semelhante à minha sobre estas máquinas infernais.

Além do que refere, há para mim um problema ainda mais relevante: o lixo não biodegradável (as cápsulas!) que estas máquinas geram de cada vez que fazem um simples café!

SusMar disse...

Completamente de acordo.
Mas eu sou uma daquelas «pecadoras» da Nespresso há quase 10 anos e ainda hoje me sinto assim... Mas a verdade verdadinha é dividida para mim em duas partes: à época era a única e a máquina era substancialmente mais barata que uma boa máquina tradicional (para quem iria usufruir dela só para convívios caseiros isso contava) e o bendito café é simplesmente maravilhoso (e para todos os gostos, pois os gostos cá por casa são muito diferentes uns dos outros) e ainda com o bónus de não haver em lado nenhum um descafeinado expresso igual ao da Nespresso. Estas foram as minhas razões há 10 anos atrás e uma coisa é certa: continuo a ter a maquineta porque ela continua firme e sem qualquer problema nem de borrachas nem outro que o valha...
Há boas máquinas convencionais no mercado, mas os preços não são nada convidativos a meu ver, claro.
Mas obrigada pelo testemunho e pela honestidade, que é disso que vive a troca de experiências!

Luís Pontes disse...

L Filipe,
Uma maneira de tornar o uso da Nespresso, ambientalmente aceitável será usar as cápsulas recarregáveis que encontra aqui: http://www.portaldevendas.net/~portalde/vazias/1-coffeedcuk.html

SusMar,
A qualidade e variedade que aponta é bem verdade, mas deixe-me que lhe diga que, para além das marcas e lotes de cafés tradicionais de grande superfície, existem "tesouros" que bem poucos conhecem nas velhas casas de "chás e cafés" que ainda sobrevivem, apesar de estarem a fechar umas atrás de outras, a um ritmo assustador. Encontram-se aí preciosidades que nem lembraria à.... Nespresso!

Xavier Cabeças disse...

Eu também me chateia solenemente. Ainda me lembro de passar com um amigo meu no Chiado na primeira loja Nespresso, e de observar as intermináveis filas de pessoas que queriam adquirir as cápsulas da moda. O meu amigo desatava aos gritos a informar que mais caima existia uma casa que vendia café em grão. Por mim, não prescindo duma Krups que mói os grãos na hora e faz um café a partir dum produto que compro avulso numa casa da especialidade e que vem num pacote de papel pardo e não numa cápsula metálica que pode muito bem conter serradura com corante e aroma artificial.

rosa disse...

Gosto mesmo deste blog.

Às vezes penso que nos estão a tornar pequenas máquinas programadas, o que comemos, bebemos, vestimos, pensamos(...)não é o que queremos ou desejariamos, mas sim o que "eles" querem que desejemos.

Paula disse...

Plenamente de acordo, Luís.

tila disse...

As coisas não estão boas.... pois é e o café ´quase que um luxo (mesmo em casa). Fazendo contas arrumei a minha DeltaQ e fui buscar a minha ANTIGA de pastilhas. Para além de tornar o café mais barato, é muito bom ( pelo menos o da Sical), biodegradavél´. Ahhhh pois é.....
Bom fim de semana

MS disse...

Caro Luís
Estou totalmente de acordo. Desde que saí de casa dos meus pais há 4 anos, que tenho uma krups à antiga. Adoro ter café moído na lata, pôr no manípulo e tirar os cafés! Mas já me tinha apercebido que hoje em dia é como encontrar uma agulha no palheiro e ainda oiço bocas de amigos e familiares que vêm cá a casa "xiiiiiii ainda têm uma destas???". Mantenha-se fiel e não enverede pelas capsulas! :)

Helena disse...

Absolutamente de acordo! Afinal não sou a única...

tArtiBolo disse...

Caro amigo! Estou a adorar o seu blog. Amanhã faremos a sua receita de coelho à caçador. Quanto às cápsulas, eu tenho uma Delta Q. Devo ter comprado cerca de 3 caixas de cápsulas desde que comprei a máquina há quase dois anos, até que comecei a abrir os olhos e pesquisei no Youtube como carregar cápsulas Delta. Não é propriamente fácil carregá-las mas com boa vontade tudo se faz. Também há videos para a sua máquina. Posso dizer-lhe que agora uso o café que quero (compro em embalagens de 200 g) e nesta momento cada café está a custar-me 0,045€. Sim! Menos de 5 cêntimos! E a embalagem ainda não acabou pelo que este valor ainda vai baixar mais. Assim bebo o café que eu quero a um preço imbatível. Tenho sempre cápsulas carregadas por isso quando vem alguém cá a casa são tão práticas como as originais! E o ambiente também agradece! Um abraço e continuação de bom trabalho!