quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Sardinhas grelhadas no sal



                   Embora o termo “grelhado” pareça ser adequado àquilo que se cozinha numa grelha, a verdade é que, se quisermos ser culinariamente precisos, o que indica que estamos perante um grelhado e não de um assado, é o facto de não haver entre o alimento grelhado e a fonte de calor a introdução de novos sabores, gorduras, molhos, etc.
Assim, pratos como as conhecidas ”sardinhas assadas” ou o frango de churrasco simples, são na realidade grelhados e a maioria dos “barbecues”, em que o alimento é cozinhado com a utilização dos mais variados temperos e molhos e normalmente chamados grelhados por serem feitos numa grelha, são na verdade assados. Bom, na verdade estas distinções são um bocadinho picuinhas e o que interessa de facto é o prato!
Para esta 98ª Trilogia com a Ana e o Amândio, em que o tema é precisamente “grelhados” vou propor-vos um grelhado em que a grelha é substituída por sal e que é uma forma de se conseguir comer “sardinhas assadas” em apartamento citadino sem os cheiros que tornam normalmente uma sardinhada impossível dentro de casa.
Este ano, em que as sardinhas pouco passaram do sofrível no seu tempo próprio e que só agora em Setembro estão a aparecer exemplares realmente bons, grelhá-las nesta crosta foi uma solução que resultou excelente.

Ingredientes:

1kg de Sardinhas, grandes
2kg de sal grossso
0,4kg de sal fino
2 claras de ovo
Água q.b.
Azeite q.b.

Preparação:

Misture o sal com as claras e junte água suficiente para que a mistura fique húmida, com a consistência de areia molhada mas não encharcada.
Pincele cada sardinha com azeite, dos dois lados.
Disponha uma camada deste sal num tabuleiro ou assadeira, por cima uma camada de sardinhas, bem arrumadas,
depois o resto do sal 
e calque a superfície para que fique regular.
Leve ao forno no máximo calor por cerca de 20 minutos,
Aproveite para assar batatinhas Primor ou batatas pequenas, com casca, que “adiantou” no micro-ondas e que servirá com as sardinhas depois de devidamente esmurradas e regadas com azeite.
Ao sair do forno o sal formou uma crosta duríssima 
que terá de partir com o auxílio de um martelo (usei o de bater bifes) para poder retirar a camada superior da crosta deixando expostas as sardinhas.
Sirva com as batatinhas a murro e as saladas que preferir.



8 comentários:

JVC disse...

Gostei da definição de grelhado. Assim, dá para tudo, na churrasqueira, no grelhador, no forno, na chapa. ainda nao me tinha lembrado de coisa tão simples.

anna disse...

Com que então nada de peixe no sal???
Não lembras... adorei!
Beijinhos.

Luís Pontes disse...

Bom, Ana, está visto que tens tomado sempre as gotas... isso já foi em 2008!!!
Nessa altura era uma moda quase obsessiva e sabes como eu gosto de modas. Mas não tenho nada contra as crostas salgadas, até fiz uma vez um ananás assado em sal, e neste caso das sardinhas até resolveu a magna questão dos fumos que o sal absorve por completo.

Lídia Fernandes disse...

Bom dia Luís,

Obrigada por mais esta receita!
Se possível, queria que me esclarecesse a dúvida com que fiquei.
Parece-me que não salgou as sardinhas, certo?

Quero experimentar esta maravilha no fim de semana.

Cumprimentos,

Lídia

Luís Pontes disse...

Boa tarde, Lídia Fernandes

Não salguei as sardinhas previamente e, para mim que sou hipertenso e faço uma alimentação baixa em sódio, chegou perfeitamente o muito pouco que sempre passa, até quando se remove a pele. No entanto, há que não contar com isso se gosta de sardinhas a sentir-se o sal e salgá-las como faz habitualmente às sardinhas para assar.

Bom petisco de fim-de-semana

Lídia Fernandes disse...

Luís, obrigada pela resposta.

Paula S. disse...

Fantástico. Testada e aprovada com distinção!

Paula S. disse...

Tentei anteriormente enviar comentário, mas não correu bem com o registo.
Gostava de lhe agradecer a sua disponibilidade e apartilha das histórias, das origens dos pratos. Reconciliou-me com os tachos e com o prazer da partilha da mesa com a família e amigos. Muito obrigada e parabens pelo magnífico blog. Já por aqui andei imensas vezes, mas nunca deixei comentário. Tebho feito imensas coisas, que saem sempre deliciosas...