quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Beringelas Clandestinas

                Num bairro antigo, muito antigo, de Lisboa, paredes meias com o fado, existe um restaurante clandestino.
Neste restaurante, que funciona numa casa de família chinesa, só se fala chinês, os clientes são, na esmagadora maioria pertencentes à comunidade chinesa em Lisboa e, come-se a verdadeira comida dos chineses que, a propósito, é algo de tão diferente daquilo que nos habituámos a conhecer nos restaurantes “chineses” para ocidental consumir, como diferentes podem ser as cozinhas mexicana e transmontana.
Aos não-chineses que, como eu, se aventuram neste espaço a todos os títulos estranho e surpreendente, é fornecida uma lista onde pouco do que se decifra tem a esperada correspondência e onde aos tomates anunciados frente ao 57, correspondem afinal umas beringelas extraordinárias; tão extraordinárias que foram as responsáveis pela transformação que em mim se deu em relação a este fruto que passei a vida a detestar e que, obra do clandestino, agora adoro.
Para esta 108ª Trilogia com o Amândio e a Ana, precisamente com o tema “beringela”, nada melhor que este delicioso prato, o 57 do clandestino!

Ingredientes:

Beringela
Polpa de tomate
Pimento vermelho
Alhos
Pimenta
Pasta de piri-piri
Tomate desidratado
Sal
Óleo de sésamo

Preparação:

Descasque e parta a beringela em palitos finos e longitudinais.
Mergulhe-os em água por alguns minutos.
Refogue em óleo de sésamo (ou óleo alimentar) tiras de pimento vermelho, alhos, polpa de tomate,  pimenta e piri-piri a gosto.
Junte a beringela e tomate desidratado triturado,
salpique de sal, e deixe fritar mexendo sempre até ver que beringela começa a ficar translúcida, o que deve acontecer muito rapidamente, para que não amoleça.
Sirva logo com arroz cozido.
  

3 comentários:

Milena F. disse...

Adorei o post! Comi na China alguns pratos deliciosos a base de beringela e queria muito tentar saber como se faz!!!
Vou tentar a sua receita ainda essa semana!!!
P.S.: lá eu comi um prato como esse seu (com as beringelas descascadas) ou então com a casca!)

Verdinha disse...

Gosto mt de bringelas! Mas la em casa se apresenta se este prato sem carne a mistura nao era mt apreciado! Gostei desta maneira de as cozinhar!

Manuel Freire de Andrade disse...

Estou a viver em Londres há cerca de dois anos i meio e só aqui tive a oportunidade de conhecer a verdadeira comida chinesa, inclusive a diferença entre pratos de diferentes regiões. É, de facto completamente diferente do que temos em Portugal, tão diferente como o Luís refere, e proporcionalmente tão melhor!! Neste momento tornou-se uma paixão e não há uma semana que não vá comer um excelente pato lacado como especiarias ou uma barriga de porco com enguias e pasta de feijão preto fermentado, ou um leve mas saborosissimo Dim Sum etc etc, é de facto uma gastronomia surpreendente e tenho pena que se tenha ocidentalizado tanto em Portugal e Espanha.