segunda-feira, 1 de abril de 2013

Creme de Espargos Bravos


               Começou a época dos espargos bravos que, com a abundância de água deste Inverno, estão a despontar cheios de viço, um pouco por todo o lado, o Alentejo vai cheio deles.
Se puder, vá apanhá-los ao campo, o espargueiro é esta planta espinhosa e bravia 
e os espargos comestíveis são os rebentos novos 
que despontam do solo, antes de se tornarem fibrosos e espinhosos; nascem em terrenos incultos e pedregosos, beira de caminhos, e é um prazer encontrá-los e apanhá-los. Também se vendem em mercados alentejanos, em feiras e mercados de produtos biológicos e à beira da estrada, por exemplo no cruzamento de Pegões (onde também há túberas).
Para quem gosta de sopa e do sabor de um normal creme de espargos, o confeccionado com a variedade selvagem representa uma experiência quase de êxtase.

Ingredientes:

Espargos selvagens
Alhos
Batatas
Cebola
Manteiga
Sal e pimenta

Preparação:

Divida mentalmente os espargos em quatro partes, corte a primeira do lado da cabeça e reserve assim inteira. Corte as segunda e terceira partes em rodelas com poucos milímetros e rejeite a quarta e última secção.
Salteie as pontas durante alguns segundos, apenas o suficiente para lhes quebrar o viço cru, em manteiga, salpicadas de pimenta e com umas lâminas de alho.
Na manteiga em que salteou as pontas, salteie agora os troços de espargo e uma cebola picada, um pouco de pimenta e, quando a cebola passar a translúcida, junte água e duas batatas. Deixe cozer, passe com a varinha, rectifique sal e sirva logo, com as pontas de espargo por cima, a decorar. 
Se quiser, crôutons fritos sabem muito bem com este creme.  

2 comentários:

Amândio Cupido disse...

São as sopas de Lisboa e o HSP também gosta dos salteios.

Eu é mais meter tudo a cozer, com enchidos e azeite e saem sempre belas sopas, diferentes.

Quem me dera ter espargos bravos :)

Vidazinha disse...

Com muita chuva e uma temperatura amena, este ano houve espargos silvestres quase todo o inverno aqui no Ribatejo.