segunda-feira, 3 de junho de 2013

Crepes de Galinha e Beringela, no forno



                  Todos conhecemos aqueles crepes fritos e escaldantes que, por norma, fazem de entrada a uma refeição nos restaurantes chineses, recheados de legumes e, às vezes, com alguma carne de frango ou porco, picadas.
Embora se possa fazer em casa, a massa exterior destes crepes é de feitura laboriosa e resultados incertos, além de nunca se conseguir com os recursos caseiros que fique com a perfeição estaladiça dos preparados industrialmente. Juntamente com o papel de arroz, a folha de obreia e a massa filo, constituem as massas que eu prefiro adquirir já feitas.
Tendo, por razões de saúde e de idade, decidido começar a tomar alguns cuidados alimentares, fui hoje experimentar o que daria esta massa que foi feita para ser frita se fosse forneada. Com uma sobra de galinha assada e uma beringela pequenota, fez-se o ensaio e aprovou-se plenamente.
Esta massa mantém as características estaladiças que apresenta ao ser frita, mesmo feita no forno, com as vantagens inerentes para a saúde.

Ingredientes:

Galinha assada (sobra)
½ Cebola
1 Dente de alho
1 Beringela
1 colher de sobremesa de azeite
Sal e pimenta
4 Folhas de crepe chinês, de trigo
Molho Teryaki

Preparação:

Descasque a beringela e parta-a em palitos finos, como se fosse batata para fritar. Ponha de molho em água por uma hora.
Refogue a cebola e o dente de alho, ambos picados, no azeite e junte-lhes então a beringela bem escorrida. Tempere com sal e pimenta e salteie em lume forte, apenas até a beringela se tornar translúcida e começar  a amolecer. Junte no fim a galinha picada à faca e envolva. Reserve.
Descongele, fechada, uma embalagem de folhas de crepe e separe em grupos de folhas em número adequado à sua casa e ao uso que espera fazer delas.
A embalagem tem 40 unidades e deve embrulhar os sub-grupos que fizer em película aderente e voltar a congelar assim separadas, mas bem embrulhadas pois, como em todas as massas muito finas, deve evitar-se em absoluto a secagem das folhas, que é muito rápida.
Separe devagar e com cuidado uma folha, e distribua o recheio,
dobre em envelope,
enrole e,
antes de acabar o enrolamento, pincele com água a última porção de massa,
de modo a que adira e o crepe fique fechado.
Leve a forno médio até estarem louros e estaladiços, o que é rápido.
No meu caso, que estava a experimentar, usei forno quente demais (200ºC) e o resultado foi as pontas terem ficado tostadas demasiado depressa. Penso que 170ºC seja a temperatura correcta para fazer estes crepes em cerca de dez minutos.
Sirva com molho Teryaki, molho de soja, agri-doce, picante ou outro a seu  gosto.

3 comentários:

Paula disse...

Ando encantada com estas últimas receitas! Os crepes estão tentadores. Abraço.

Ines Freixo disse...

É bom saber que também podem ir ao forno! Já fiz crepes chineses fritos e confesso que a fritura podia ter corrido melhor! :P

Marisa Valadas disse...

Têm optimo aspecto e gostei do passo-a-passo