quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Sopa Caramela


               Quando hoje vemos tão densamente povoada de gentes, vilas e cidades toda a península de Setúbal, esquecemo-nos frequentemente de que ainda no Sec.XX, até à construção da primeira ponte sobre o Tejo em Lisboa, era um território semi-despovoado onde o estado tentava fazer uma colonização interna distribuindo terra e casas a quem aqui quisesse fixar-se e mesmo assim com a maioria do trabalho à mercê de movimentos migratórios sazonais de trabalhadores rurais oriundos da Beira Litoral que eram alcunhados de “caramelos de ir e vir”. Responsáveis por grande parte da colonização de áreas importantes dos concelhos de Palmela, Moita, Pinhal Novo, Pegões, Alcochete, Montijo e Barreiro, a Região Caramela, trouxeram com eles novos hábitos alimentares e baseados em alguns dos enchidos das suas terras de origem, produtos do cultivo local e muita pobreza, criaram esta variante de “sopa da panela”, chamada Sopa Caramela, que a princípio pouco diferia das nortenhas sopas de unto mas que o tempo e novas abundâncias foram enriquecendo até se tornar numa sopa/prato monumental, uma das grandes sopas portuguesas, injustamente esquecida e que é uma experiência inolvidável.
Consegue imaginar algo que lembra irresistivelmente um cozido à portuguesa, um rancho, uma sopa da pedra, uma sopa da panela, sendo todas elas sem ser nenhuma? É a Sopa Caramela!

Ingredientes:

Feijão cozido (catarino, manteiga ou vermelho)
Chouriço de carne
Farinheira
Chouriço de sangue (ou mouro)
Carnes magras de porco (perna, entrecosto…)
Carnes gordas de porco (orelha, chispe, cabeça, entremeada…)
Cebola e alhos
Cenoura
Nabo
Batata
Couve repolho
Hortelã
Massa cotovelinhos

Preparação:

Demolhe e coza o feijão e reserve. Coza as carnes em água com sal, uma cebola e alguns dentes de alho com casca.
Retire as carnes quando cozidas, coza no caldo a farinheira e o chouriço de sangue, reserve carnes e enchidos
e ponha a cozer no caldo por esta ordem, cenouras, nabo, batata, couve repolho (usei coração, a minha preferida),
por fim a massa, o feijão e um ramo de hortelã.
Desfie grosso as carnes, corte os enchidos
e sirva a sopa com as carnes e enchidos por cima,
como se usa na Região Caramela, ou misturadas na própria sopa, como eu mais gosto.
  

2 comentários:

João Pedro Diniz disse...

conheço os sabores(claro) e até a versão sopeira, mas não sabia o nome desta sopa que é muitas sopas e todas boas
viva o que era, pois voltará a ser e boas festas

Rui Monteiro disse...

Até cria agua na boca.

Solicito a V/ ajuda para o nosso projecto que estamos a iniciar.
Somos dois desempregados, a proteger o ambiente através da reciclagem de

bicicletas.

RECBYK
Reciclagem de bicicletas
http://recbyk.125mb.com