quinta-feira, 28 de maio de 2009

TORRICADO

Aprendi o Torricado no melhor sítio possível para fazê-lo: sobre os valados do Tejo, na Azambuja, terra onde é "prato" emblemático. Não se pense que, por ser um "pão de alho" é coisa menor. Comer um torricado feito a preceito é uma experiência que não se esquece.
Noutros lugares que não a Azambuja, é conhecido como Tiborna e, na prática, são idênticos.
.
Ingredientes:
.
Merendeiras (de ontem)
Alhos
Azeite Virgem
Sal grosso
.
Preparação:
.
Escolha merendeiras que não tenham muita "alma", quer dizer que sejam relativamente homogéneas por dentro, sem grandes bolhas e buracos. Pode usar-se uns pães saloios pequenos que aparecem na região de Lisboa ou até as modernas "chapatas" de supermercado desde que apresentem alguma densidade no miolo.
.
.
Abra as merendeiras ao meio, como se fosse para fazer uma sanduíche e, com a ponta de uma faca bem afiada, retalhe o miolo profundamente mas sem atingir a côdea, em quadrados de cerca de 2,5cm de lado (a grossura de um dedo).
.
.
Ponha as metades a grelhar sobre o carvão (ou num grelhador eléctrico) primeiro o lado da côdea, que deve ficar estaladiço mas não tostado, depois o lado do miolo que deve ficar louro como uma torrada.
Esfregue então um dente de alho por toda a superfície tostada, do lado do miolo. Cada metade de merendeira consome assim meio dente de alho grande. É o próprio pão que diz quando está bem: conforme a superfície vai ficando húmida dos sucos do alho vai perdendo a capacidade de o desgastar; quando o alho deslizar no pão sem atrito, já está!
.
.
Salpique então a merendeira com sal grosso e sacuda o excesso. O que interessa é que algum fique retido nas fendas do quadriculado que entretanto abriu um pouco com a tostagem.
Regue com um fio de azeite virgem, mais ou menos abundante conforme o gosto, por toda a superfície e volte a pôr a grelhar só do lado do miolo.
.
.
Está pronto quando se ouvir um ruído parecido com o som de fritar (o "cantar" do torricado).
Serve como acompanhamento de bacalhau assado ou sardinhas, também assadas e é a "tiborna " que dá o nome a esse bacalhau desfiado com as batatas a murro, a Tibornada.
.
.
Notas:
.
Ou pode comê-lo só, que é de deixar qualquer Pão de Alho italiano a morrer de inveja!

11 comentários:

ameixa seca disse...

Quero disto, o alho já me diz tudo. É algo que não dispenso na cozinha e adoro o sabor :)

Marco disse...

O meu pai fala-me com saudade das aventuras de infancia em que o Sr. do lagar que permitia ao grupo de crianças a caminho da escola encharcar uma face do pão torrado na brasa em azeite (desde que o pão não estivesse mordido!)
Refere-se à iguaria como tiborna.
Tem muito bom aspecto!

anna disse...

Os bacalhaus podem sossegar... lol!
Isto deve ser tão bom...
Beijo.

Susana Garcia disse...

deve ser bom também,eu gosto muito também das bruchetas italianas que se esfregam com alho e levam azeite,e tomate e mais ingredientes que se queira e vão ao forno a tostar.

Paula disse...

Imperdível!

Lenisa disse...

adorei este e o post anterior. levaram-me a minha infancia onde havia tibornada e torricado muita vez comidos na praia do tejo na azambuja.
obrigada:)

cid simoes disse...

Muito bem apresentado; também já editei esta receita.

http://voarforadaasa.blogspot.com/2009/07/dom-torricado.html

cid simoes disse...

Se os bandidos já roubaram mais de dois mil milhões de euros e ainda nada lhes aconteceu, certamente que vou ser absolvido por lhe fanar uma imagem do torricado.

Bea disse...

Olá,
deve ser bem bom!

cá em casa a tiborna é o pão torrado mas com azeite, açúcar e canela :) bem bom!

Unknown disse...



Muito bem descrito.

Estamos cá

Carpe Diem disse...

Este é o melhor blog de culinária de Portugal!