quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Bolo de Água-Mel

                         Quando, no fim da cresta, se lavam os utensílios com que se fez a extracção do mel dos favos, as alças das colmeias e a própria cera que conteve o mel, obtém-se um líquido que, após prolongada fervura, se transforma num xarope escuro e doce, a água-mel, que hoje é disputada como iguaria gourmet por esse mundo fora, para tempero de saladas, mas que durante muitos anos era o “mel” do apicultor pobre, o subproduto com que ele próprio ficava após vender a totalidade do mel produzido, essencial à subsistência familiar.
Com um sabor único que mistura os sabores e aromas de mel, pólen, cera, própolis e madeiras, por aqui não se lhe liga importância e a água-mel deixou mesmo de ser produzida por muitos apicultores e é difícil ou até impossível de adquirir nos circuitos da grande distribuição, restando a quem queira experimentar esta delícia, algumas lojas gourmet, a compra directa a apicultores ou às suas associações e as feiras rurais onde, quem vende mel também costuma tê-la.
Tradicionalmente, a água-mel era utilizada para pincelar fatias de pão e para fazer, em dias de festa, o Bolo de Água-Mel, iguaria muito popular em todo o Sul rural mas cuja receita original está hoje, na prática, quase perdida, substituída por uma outra, que vingou por copy-paste na Internet, feita com óleo em vez de azeite e com leite, sabe-se lá para quê.
Para esta 65ª Trilogia com a Ana e o Cupido, subordinada ao tema “mel”, não descansei enquanto não consegui encontrar a minha própria receita do bolo de água-mel, a original, obtida há muitos anos numa feira rural alentejana, manuscrita ali, num papelinho de ocasião,
pela mulher do apicultor e que eu julgava perdida mas que afinal ressuscitou do meio de uns dossiers de velharias de onde, de vez em quando, saem estas coisas maravilhosas que um papel qualquer guardou no tempo, da voragem do esquecimento e da negligência.
Armado da preciosa “antiguidade”, fiz assim:

Ingredientes:

6 ovos
1 chávena de água-mel ( 400g)
1 chávena de açúcar ( 250g)
1 chávena de azeite ( 260g)
375g de farinha (com fermento)
Manteiga e farinha para a forma, q.b.
1 pitada de sal

Preparação:

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado e fofo. Adicione então o azeite a água-mel, bata até ficar homogéneo e incorpore então a farinha.
Envolva nesta massa as claras batidas em castelo firme com a pitada de sal e leve a cozer em forno pré-aquecido a 170ºC, numa forma untada de manteiga e polvilhada de farinha, durante cerca de 45m. 
Sirva assim, já que o interior fica húmido, apesar de muito fofo, ou,
como eu gosto (ainda) mais, regado por umas colheradas generosas de água-mel.

8 comentários:

Ondina Maria disse...

Que bolo fofo e escurinho. Esta receita vai de certeza conquistar o meu paladar, gosto de bolos simples :)

Carla Soar disse...

O genial deste blog é ISTO... tradição, cultura e novos desejos sempre. Agora não vou me aquietar enqto não encontrar a tal da "água-mel" :)

anna disse...

E não é que foi preciso chegar à 65ª para eu ouvir falar de água mel?
Dois gulosos estão a revelar-se (em boa hora, diga-se já)... nestas trilogias semanais.
Belo bolo!!!
Beijinhos.

Amândio Cupido disse...

Desta vez voltámos a andar muito perto, na abordagem ao tema.

Durante uns anos, tive a patente de tirocinante auxiliar de apicultor amador e a aplicação da água-mel era mesmo para devolver às abelhas, para a alimentação no inverno :)

Desconhecia de todo as aplicações "gourmet"...

Lídia Fernandes disse...

Faço muitas vezes o bolo de mel, mas de água-mel nunca experimentei.

A água-mel coloco-a num pratinho e molho pedacinhos de pão, acompanha com queijo de cabra curado (do alentejo). O contraste entre o doce e o salgado é uma delicia.

Os meus 2 avôs tinham colmeias no alentejo. Assisti desde muito tenra idade à cresta.

Vou experimentar a sua sugestão desta semana!

Meg disse...

Só de olhar já deu água na boca..adorei seu blog vou te adicionar.
como o meu blog ainda e novo espero ter tempo de também colocar receitas que meu filho ama ....beijos

Meg disse...

Adorei seu blog espero em breve ter tempo para colocar também no meu as receitas que meu filho ama.. beijos

Belocas disse...

Não resisto a levar esta receita e vou tenta fazer brevemente.
Tenho alguns amigos que são produtores de mel e assim vou conseguindo arranjar alguns frasquinho de água mel, para me satisfazer nas gulodices de pão ou torradas com queijo fresco ou queijo da ilha.
Hoje vou publicar uma receita de um bolo que a minha mãe fez, e que também levou água mel.
Abraços