terça-feira, 15 de dezembro de 2009

MEC 1 - Não deixemos morrer a travessa!

........Salada de maçã e bacon - Foto da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra
"Se há coisa que abomino é esta prática de levar com tudo já empratado. Os chefes contemporâneos deliciam-se a empratar cada criação de maneira igual, com as mesmísssimas quantidades e disposições, obrigando-nos a suportar a estética duvidosa e pseudo-artística que os anima.
Para mais, é sempre o mesmo prato gigante, com a mesma monótona lógica dos ponteiros do relógio, as torrezinhas dos ingredientes já determinadas; os mesmíssimos esguichos ridículos de molhos; as lâminas atravessadas de cebolinho; os salpicos pirosos de ervilhas e sei lá que mais.
.../... Nos restaurantes de vanguarda, são os próprios empregados que transmitem as instruções do chefe acerca da ordem e da maneira correcta de comer o metafórico prato: «Primeiro dá uma trinca no gelado de carapau; depois mistura uma colher de espuma de escabeche na boca; dá um golo deste vinho e, quando estiver prestes a engolir, levante a cabeça que dar-lhe-ei uma bombada de maresia de ostras no focinho.»
É caso para telefonar imediatamente para a Liga Anti-Nazi. Hoje em dia, com a insuportável prepotência dos novos chefes, a margem de liberdade do pobre almoçador regressou aos níveis de autonomía que tínhamos com três anos de idade."

in , Em Portugal Não se Come mal, Miguel Esteves Cardoso, 2008, Assírio & Alvim.

4 comentários:

ameixa seca disse...

He he, este Miguel é um cromo. Concordo em absoluto. Adoro fazer o meu prato e comer pela ordem que bem me apetecer :)

Moira disse...

Ainda não tive oportunidade de ler esse livro, mas acho que vou gostar.
Também gosto muito das travessas e de comer como me der na minha "real" gana.

Maria Lúcia disse...

Oi
Eu fico pensando
será que é para
comer os enfeites
mais um desperdício
de comidas.
Eu faço um
misturada
pra desgosto
do chefe
que quer pular
no meu pescoço.KKKKkkkk
Abraços...
Lúcia.

jamsilva disse...

o MEC é o maior!!

:)