sexta-feira, 22 de abril de 2011

Cabrito no Forno

 ...............  Comer cabrito ou cordeiro, de leite, na Páscoa, é uma tradição que por via dos preços exorbitantes a que os jovens ovinos e ainda mais os caprinos aparecem à venda, está a ser paulatinamente substituída pelo uso dos irmãos mais velhos, os borregos, que, apesar de não serem  a mesma coisa, vão dando conta do recado.
Para aqueles que, como eu, vão tendo a sorte de conseguir uns bichinhos dos que cabem inteiros no tabuleiro pelo preço de "obrigado", vai sendo ainda possível essa sorte grande de sabor e textura inimitável que é a do anho ou cabrito de leite no forno e que aqui deixo como receita pascal, sendo que fica igualmente muito bom feito com uma mão ou perna de borrego, acompanhadas pelo precioso e disputado contrapeso das costelas.

Ingredientes:

Cabrito de leite
Cebola
Alhos
Colorau*
Louro
Sal e pimenta
Banha de porco
Manteiga ou margarina
Vinho branco, seco
Batatinhas de assar
Grelos cozidos

Preparação:

Tempere a carne dos dois lados com sal, pimenta, alhos em fatias ou esmagados, louro, colorau* e disponha-a sobre rodelas de cebola no fundo do tabuleiro.

Distribua em seguida pedaços de banha e manteiga (ou margarina) sobre a carne, cubra o espaço existente no tabuleiro com batatinhas de assar com casca, salpique tudo  com umas gotas de vinho branco
 e leve a forno quente por cerca de 15m, reduzindo em seguida para 150ºC por mais ou menos uma hora ou até carne e batatas estarem bem cozinhadas e louras a seu gosto. Durante este tempo vá borrifando o assado com pequenas quantidades de vinho branco, de modo a nunca deixar queimar o molho.



Sirva com grelos cozidos ou outro verde a seu gosto e acompanhe com um tinto muito leve e frutado, um rosé ou até um branco com alguma complexidade.



Nota:
O colorau, que na prática não se diferencia do pimentão doce e da paprica, podendo ser usado, indiferentemente, qualquer deles, não é sobreponível nem substituível por massa de pimentão.
Apesar de se tratar de produtos do mesmo fruto, o pimento maduro (capsicum), o efeito culinário é muito diferente, sendo a massa de pimentão um produto cru, de salmoura, apropriada para a carne de porco e o pimentão doce um produto que levou calor na sua desidratação e que perdeu todas as características do pimento fresco e se tornou apropriado para outras carnes, peixes, etc.
Vai sendo, no entanto, cada vez mais comum, o uso indiscriminado de massa de pimentão, como se de mais-valia se tratasse mas sendo, muitas vezes, simplesmente o arruinar de todo um prato que até podia resultar muito bem.

BOA  PÁSCOA! 

4 comentários:

Felismina disse...

Ficou com um aspeto otimo esse cabritinho,
Boa Páscoa...

anna disse...

Vai ser o nosso almoço no Domingo, assim, mais ou menos como o teu...
delicioso!
Beijinhos e boa Páscoa!

cupido disse...

Belo cabrito. Desses também eu queria :)

Boa Páscoa

João disse...

Olá. Como não há de leite, vamos tentar com um "maiorzinho" Já está pronto a entrar para o forno. Santa Páscoa e obrigado por tantos e tão sucolosos momentos gastronómicos. Joba