quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Bolas de Berlim

                            Andava há que tempos para  fazê-las, atrás   de uma desculpa para a enormidade, que eu, quando se trata de Bolas de Berlim, não como uma nem duas e já vou tendo idade (e linha!), para ter juízo.

Mas o Cupido fez o favor de dar o empurrãozinho fatal, ao indicar  o tema “fritos doces” para esta 63ª Trilogia comigo e com a Ana e, estando definitivamente passada a época natalícia e suas filhoses, rabanadas e coscorões, seria pois a vez desse bolo de todo o ano e de todo o mundo, a Bola de Berlim.
As Bolas de Berlim são, com pequenas variações, quase sempre no recheio, um bolo global, aparecendo em culturas pasteleiras tão improváveis como Israel (Sufganiot), Austrália (Berliner), E.U.A. (Bismarcks), Brasil (Sonhos), República Checa (Kobliha) ou Itália (Bombolone).
Infelizmente, as saudosas bolas de outrora, que resplandeciam, gulosas, com a boca amarela a rir para nós, em cada café, pastelaria ou leitaria, ou ainda nas praias, cada uma com algo que a distinguia, foram hoje substituídas por uns bolos normalizados, “melhoradas” com Tegral, um pó da multinacional dos bolos, que sendo “Produto completo em pó para o fabrico de Bolas de Berlim. Vantagens - Obtenção fácil de bolas de berlim, fofas e saborosas. Excelente tolerância fermentativa, volume e aspecto.”, fez às bolas de Berlim o que já havia feito aos queques, madalenas, bolos de arroz e tudo o resto que por aí aparece hoje à venda, iguais, bem comportadas, sem falha nem brilho, apenas melhores do que umas outras, espécie de donuts na massa, sem buraco nem vergonha, que de bola só têm o nome usurpado.
Mas estas não são donut sem buraco nem feitas com uns pós melhorados, apenas com os bons e saudosos ingredientes naturais que davam todo o sabor às antigas Bolas de Berlim.

Ingredientes:

300g de Farinha de trigo 55
12,5g de Fermento de padeiro fresco
0,65 dl de leite morno (aprox.)
40g de Açúcar
60g de Manteiga
1 ovo +1 gema
Raspa de  Limão

Creme Pasteleiro :
1dl de água
1,5 dl de leite
100 grs de açúcar
50 grs de farinha sem fermento
2 gemas + 1 ovo
Limão ou baunilha q.b.
1 colher de sopa de manteiga

Preparação:

Amasse 50g da farinha com o fermento e um pouco de leite e deixe a levedar abrigado de frio.
Peneire os restantes 200g de farinha para uma tigela, junte todos os outros ingredientes
e a massa já levedada (i.e. que duplicou o volume inicial) e amasse tudo muito bem, à mão ou à máquina, até que a massa se despegue perfeitamente da parede da tigela.
 A consistência deve ser a de massa de pão.
Polvilhe a tigela com farinha, ponha lá a massa e deixe levedar até duplicar o volume.
Com os dedos enfarinhados, retire pedaços com o volume aproximado de uma noz grande, para bolas pequenas e do tamanho de uma tangerina para bolas grandes, molde-os em bola e coloque-os num tabuleiro forrado com um pano enfarinhado,
 onde devem voltar a duplicar o seu volume.
A fritura faz-se em óleo quente abundante mas lume brando (150ºC).
Quando estão louras, escorrem-se rapidamente e envolvem-se logo em açúcar. Se esperar muito o açúcar não agarra. As quantidades indicadas fizeram 6 bolas pequenas e 6 grandes.
Se quiser rechear as bolas deve esperar que arrefeçam, golpeá-las de lado com uma tesoura 
e rechear  com Creme Pasteleiro.
Este creme prepara-se juntando e misturando muito bem, a seco, açúcar e farinha, junte depois o ovo e as gemas e mexa bem.
Ferva o leite e água, com a manteiga e baunilha ou limão, junte a mistura e, mexendo sempre, leve ao lume até levantar fervura.
Retire do lume e coloque num recipiente para arrefecer.

10 comentários:

Diogo Marques disse...

Uma verdadeira maravilha. Só falta vir o sol e a praia para comer uma dessas à beira mar plantado :)

anna disse...

Até me fizeste sonhar com bolas de Berlim a transbordar de creme guloso... estão lindas, aposto que comeste umas mornas...
Beijinhos.

Ondina Maria disse...

adoro bolas de berlim, de preferência sem creme :)
só é pena serem fritas!

Sofia Arcângelo disse...

Ui! O meu calcanhar de Aquiles.... ADORO Bolas de Berlim! E estas ficaram perfeitas. Beijinhos

Delicias e Tal (Teresa Henriques) disse...

É verdade, hoje em dia as bolas de berlim perderam o encanto (e o sabor...) de antigamente!!! Mas estas têm um aspecto excelente...
Obrigada pela partilha, felicidades

Moira disse...

Isso é o que eu chamo uma verdadeira tentação. O meu problema com as bolas de berlim, é que tal como o Luís não sou capaz de comer só uma :/

menina pereira disse...

Hum.. que bom, vou experimentar. obrigada pelas deliciosas receitas que partilha...
Cumprimentos

José Meirinho Esteves disse...

tudo indica que se lhes perdoa o mal que fazem pelo bem que fazem! :) agora que a mente se abriu a esta nova ideia, ... lá vou eu ter de fazer bolas de berlim!!! :) Obrigado por mais esta partilha Luis

Lídia Fernandes disse...

Já experimentei :) Só posso dizer que são deliciosas.

Não chegaram para as encomendas. Todos queriam repetir e repetir e ... para a próxima há mais.

Muito obrigada pela sua partilha.

Lídia

Xavier Cabeças disse...

Fiz a sua receita, mas ainda pelo blog antigo (http://comidascaseiras.blogspot.pt/) e as bolas de Berlim ficaram muito boas. A raspa de limão fica a matar e a massa é divina. Apesar de não ser fanático do "biológico" usei uma farinha de trigo 550 (Weizenmehl) comprada num supermercado biológico perto do Quartel General de Lisboa.