quarta-feira, 10 de maio de 2017

"Arroz" de pato e couve-flor (Trilogia 174)

              Quando chega a Primavera e se aproximam as férias, tomamos consciência dos efeitos que as boas comidas e bebidas de tantos meses descuidados tiveram no nosso corpo que teremos de exibir na época balnear, sem roupas nem disfarces.
Esta é, portanto, a época de todos os regimes e dietas, que, por entre promessas mais ou menos miraculosas, acabam sempre por propor alguma restrição dos alimentos que mais contribuem para o aumento da gordura corporal e, pelo contrário, o incremento do consumo daqueles que mais contribuem para o emagrecimento, os vegetais em geral e, dentre eles, por serem quase isentos dos famigerados hidratos de carbono, ocupam espaço relevante as couves.
Esta 174ª Trilogia em que o Amândio me mandou a mim e à Ana tratar o tema “couves” é por isso ideal para vos apresentar essa deliciosa transmutação de couve-flor em "arroz", e de pato!

Ingredientes:

Pato

Couve-flor
Cebola
Alho
Louro
Pimentão doce fumado
Sal e pimenta

Preparação:


Coza o pato até que a carne se solte facilmente, retire e reserve a gordura que se formou à superfície do caldo, desosse-o e desfie a carne em pedaços grosseiros.

Refogue cebola picada, rodelas de chouriço, alhos, louro, pimenta preta e pimentão doce fumado (Pimentón de La Vera) na gordura de pato obtida na cozedura.

Adicione então a carne desfiada, envolva bem, deixe cozinhar por uns breves minutos e rectifique o sal.

Com o auxílio de uma picadora, triture couve-flor de modo a que os fragmentos fiquem com um tamanho semelhante a bagos de arroz.

Salteie a couve-flor picada em gordura de pato, com sal e lume muito forte, mexendo sempre de modo a que comece a cozer de forma incipiente e nunca deixando que a cozedura avance. A intenção é olear, aquecer e começar a cozinhar a couve-flor, tirando-lhe o viço de cru mas sem deixar amolecer.
Como se fosse um arroz de pato verdadeiro, disponha uma camada de couve-flor salteada,
depois o pato
e por fim cubra com outra camada de couve-flor.
Enfeite com rodelas de chouriço
e leve a forno muito quente durante dez minutos.
Sirva como um arroz de pato e acompanhe com uma salada fria e envinagrada, se quiser.

Sabe a arroz? Claro que não, mas garanto que sabe muito bem, ao palato e à linha!


1 comentário:

castrantonio disse...

Este "arroz de pato" fez me lembrar uma entrada da cozinha de Goa, que eles chamam de "miolada" em que em vez do pato se junta ovos mexidos...
Vou experimentar este "arroz"...
antonio