quarta-feira, 16 de março de 2011

Manjar dos Anjos

.................. Apesar deste nome designar geralmente um outro doce feito com bolachas, o certo é que me foi assim ensinado há já muitos anos e como tal não serei eu que me vou pôr a inventar-lhe outro: fica Manjar dos Anjos!
Esta sobremesa é muito “adulta”, sendo raras as crianças que gostam dela, o que também não faz mal nenhum já que a miudagem vive atafulhada em doces que lhe são dirigidos, num comércio de milhões. Este manjar é para anjos, não para anjinhos.
Quando a Ana indicou o tema "frutos secos" para esta 19ª Trilogia comigo e com o Cupido, ocorreu-me de imediato esta sobremesa dos anjos, que de angelical não tem nada, sendo bastante sensual e até algo perversa nas brincadeiras que propõe ao palato a debater-se com variações constantes de textura e sabor, a cada colherada.
Optei pela versão clássica mas chamo a atenção para as infinitas possibilidades de variação e fuga ao tema, de que falo no fim.

.

Ingredientes:
.
0, 5l de leite
9 folhas de gelatina
3-4 colheres de sopa de açúcar
3 gemas de ovo
100g de passas sem graínha
100g de fruta cristalizada picada em cubinhos pequenos ( excluindo casca de citrinos )
Vinho do Porto ou outro álcool a gosto
100g de miolo de noz picado grosseiramente
1 pacote de natas 30% m.g.
1 vagem de baunilha ou açúcar baunilhado
3 colheres de açúcar para caramelizar a forma.
.
Preparação: .

Macere em Porto ou outro álcool do seu agrado as passas e frutas cristalizadas.
.
Caramelize uma forma, a quente, de modo a que o fundo e paredes fiquem bem cobertas de caramelo.
.Demolhe as folhas de gelatina em água fria durante 10 minutos.
Pique as nozes com uma faca muito afiada, grosseiramente, de modo a que não se forme pó e a noz fique a sentir-se bem.
.Ferva o leite com o açúcar e a baunilha. Se usar vagem deve ferver em lume mínimo durante 10 minutos; no caso de usar açúcar baunilhado basta levantar fervura.
Retire do lume e junte as folhas de gelatina demolhada e escorrida e depois as gemas, mexendo bem.
Sempre a mexer, volta a levar-se ao lume até recomeçar a ferver e retira-se.
Deixe arrefecer até estar morno e junte as passas e a fruta muito bem escorridas, a noz e, por último as natas.
Verta o preparado na forma, tendo o cuidado de distribuir os sólidos para não ficarem no mesmo sítio
. e deixe-a no frigorífico até estar bem consolidada, de preferência até ao dia seguinte. Se a forma foi corretamente caramelizada, o “manjar” desenformar-se-á sem ser necessário recorrer a qualquer aquecimento. Corte em fatias de alto a baixo, de modo a que todas fiquem com todos os estratos: passas e frutos cristalizados em cima, o leite gelificado bem liso a meio e por fim as nozes em baixo.


NOTAS :

-Aconselho o emprego de caramelo acabado de preparar na própria forma, que, por isso, deve ser de metal. O caramelo líquido comercial, porque adere mal às paredes, causa por vezes dificuldades no desenformar.
-Uma variante menos exuberante no aspeto mas boa opção para quem não aprecia frutas cristalizadas é substituir estas por uma chávena de compota de gila, tendo o cuidado de lavar e escorrer os fios para retirar o excesso de açúcar. Pode ainda usar apenas passas de diversas cores, usando nesse caso 200g.
Pode ainda substituir a baunilha por chá preto ou macis de noz moscada ou o que mais lhe ocorrer.
-A preparação é muito fácil e segura. As únicas partes demoradas são os dois arrefecimentos. O primeiro pode ser acelerado introduzindo a panela em água fria e mexendo até o conteúdo amornar. Quanto ao segundo não há nada a fazer a não ser esperar as horas necessárias no frigorífico (nunca no congelador).
.

9 comentários:

paula MARIANA disse...

Um manjar divino mesmo, adorei esta sugestão principalmente pelas nozes, passas e frutas cristalizadas.
Torna-o diferente e com uma apresentação fantástica.


Obrigado pela partilha!!

Ana Maria disse...

Realmente, um manjar. Vou levar a receita, se não se importar.
Cumpts

♥♥ belinhagulosa ♥♥ disse...

Que maravilha de anjo não me parece,é mais uma tentação daquelas que se come e come,obrigada,

nicola disse...

Pois é, Luís, correu mal! Para quem não sabe, estou a falar da minha tentativa de fazer o assado a baixa temperatura.
Em primeiro lugar, já vi que troquei as mãos… não foi o cachaço do post de ontem que fiz mas sim o Cachaço à Italiana publicado em Set de 2008. Os 70ºC também foram um lapso. Coloquei realmente o forno a 75ºC, mas acho que o problema foi mesmo este. Como AINDA não tenho termómetro, confiei no termostato do forno e o resultado foi um cachaço cru. Tive que apressar umas omeletes para o almoço e o cachaço continua no forno (desligado) à espera de ser terminado para o jantar. Mas não vou desistir! Primeiro passo: comprar um termómetro!

LPontes disse...

Nicola,
imaginei que ia dar isso, por isso lhe respondi logo.
A temperatura certa é quando consegue ter a mão a meio forno por 4 ou 5 dsegundos e depois tem mesmo que a tirar, senão queima-se.
Acenda outra vez o forno assim, e deixe a funcionar até ao jantar.

moranguita disse...

bem isto e de ir aos ceus. nao conhecia este doce, puseste -me com iemnsa fome:-)
beijinho

Nicole disse...

Boa noite Luís, afinal a saga do cachaço teve um final feliz! Fiz como me disse, mas acabei por colocar o forno a 120ºC(alegadamente).
Estou habituada a cozinhar para três e se tenho mais alguém já fico stressada. O meu objectivo é arranjar algumas receitas para fazer quando tiver convidados, e acho que esta é uma boa opção, uma vez que a família gosta de pratos mais tradicionais.
Obrigada pela ajuda!

anna disse...

Manjar dos anjos é um bom nome para uma sobremesa maravilha... neste caso foi o «anjo» que fez para o «anjo guloso» que comeu...é o que se chama os 2 «anjos» em 1!!!!
Não há como deixar de ficar tentada...
Beijinhos.

cupido disse...

Gostei muito desta proposta. Realmente, como dizes, é simples e com muitas possibilidades de variação.

Mais uma bela trilogia...