quarta-feira, 25 de março de 2009

Arroz de Pato no Forno

Quando dentro de dias aqui publicar o Magret Tonatto que fez parte do jantar Y5, perceberão a razão secundária deste Arroz de Pato no Forno: é que depois de tirar os peitos aos palmípedes para o dito magret, fica-se com imenso pato, pernas, asas e carcaça e há que utilizar estas "sobras".
Vista a razão secundária, falta a principal: eu e todos por aqui adoramos Arroz de Pato!
Faz-se assim:

Ingredientes:

Pato
Cebola
Alhos
Pimentão doce em pó
Salsa e Louro
Sal e Pimenta
Chouriço caseiro
Arroz Carolino

Preparação:
.
Coza demoradamente o pato em água e sal até os ossos se separarem da carne. Retire parte da gordura que fica a sobrenadar para um tacho e refogue nela cebola em meia-lua, dentes de alho e louro até começar a alourar. Junte por fim o pimentão em pó e chouriço partido em pedaços pequenos.
.

Adicione a carne do pato sem peles, tempere de sal e pimenta, junte a salsa picada, dê uma volta e reserve.
Coza arroz carolino no caldo em que cozeu pato, usando um pouco menos que o dobro do volume de arroz.
.

Quando o caldo quase desapareceu e o arroz ainda está com "coração", disponha três quartos num tabuleiro de forno ou assadeira, espalhe por cima o pato, cubra com o resto do arroz e decore com rodelas de chouriço. Vai a forno quente por cerca de 20 minutos ou até alourar a superfície do arroz.
.

Fica excelente, como todos os "empadões" a ferver, acompanhado pela frescura de uma salada de alface.

7 comentários:

cupido disse...

Bem fixe; receita rigorosa e a preceito (também, era o que faltava). Agora, apenas uma questão: o chouriço (por acaso até costumo usar, com a diferença de o cozer com o pato e só depois fatiar) é mesmo uma mais valia, ou é só para enfeitar ou porque já estamos habituados ao ícone?

LPontes disse...

Cupido:
O de dentro, que não se vê é uma mais-valia importante no tempero da carne e sua gordura que depois entranha no arroz (por isso a necessidade absoluta de ser de excelente qualidade). Já as rodelas de cima ´são mais para o enfeite e, de qualquer modo faz parte da minha "imagem" de Arroz de Pato.

anna disse...

Luís, só não concordo que o pato, depois de retirados os peitos, ainda fique com muita carne... aliás eu acho que esse é o maior defeito dos patos, para além daquela pele horrorosa que costumam ter...
Adiante! Adoro arroz de pato assim, bem simples e com o sabor todo...
Beijos.

jamsilva disse...

grandes memórias....

LPontes disse...

Anna:
É um argumento imbatível! Com o "pouco" com alguns figurões por aí almoçam eu dava cambalhotas de alegria e comia o mês inteiro... e ainda me sobrava "muito".
O Cupido ainda ontem fez um hamburger de "quilo"!!! :-)

Cá por casa é suposto sermos bons garfos (até demais)e com o que dá um pato bom sem peitos e meio chouriço, comem quatro até avondo.

Bom, mas claro que admito que noutras paragens até nem chegue para a cova de um dente! :-)

Bom fim de semana

anna disse...

Bem, Luis, começo a achar que os seus patos são diferentes dos meus... vou tirar uma foto ao próximo.
Cá em casa sou eu a mais comilona, os meus esquisitinhos nem isso são...
Beijinho.

cupido disse...

bem, do ham de "quilo", espero que não me tenhas integrado nos figurões... de almoço, lol